25 de fev de 2007

Manchas Vermelhas.

As pessoas olham enojadas, desconfiadas, fingem não olhar mas eu sinto os olhares.

Em fazendo os exames, a clínica perplexou-se toda ao notar a arte neo-pontilhista na qual se tornou meu corpo. Deveria ter me levantado e apresentado minha doença (ou ao menos as desconfianças) a todos, quiçá assim poderiam livrar-me dos olhares perscrutadores, dos cochichos... do assombro de ter me tornado objeto de horror e asco, de temor e repulsa, afinal, meus sintomas estavam às vistas de todos, diferentemente dos deles, que deveriam estar doentes também, a menos que fizessem acompanhamento do 'status sanguíneo', nunca se sabe...

Em todo caso, se nossos sintomas não estão expostos, somos todos normais, não? Percorro o saguão com os olhos, e ao passo em que olho seus olhares se dissipam... como se a real indiferença do mundo para com a minha existência, que por segundos fora abandonada, retornasse triunfante sobre minha pele em polvorosa, empolada, rósea. Nem me atrevi a ceder às coceiras, pois senão estaria concedendo-lhes um aumento inoportuno do prazer de poder comentar mais isso.

Incrivelmente as pessoas que não estavam na clínica, desde o balconista da padaria até as pessoas no ônibus, no transporte público, foram mais discretas ou simplesmente não se preocuparam em observar. As pessoas doentes parecem sempre interessadas em buscar doenças piores que as delas, talvez para se conformar com suas debilidades momentâneas, talvez para se orgulhar de não estar 'naquele estado'. E muitos por vezes apresentam aquele interesse ilusório, falsos olhares de comiseração... Espero que a transmissibilidade de minha doença naquele momento tenha se reforçado, assim todos dentro de dias saberão como é ao mesmo tempo constrangedor e enriquecedor (por oposição) ser notado não como ser humano, mas como objeto. Objeto de 'temor', objeto de pena... ou de um simples interesse científico-bisbilhoteiro...


Com certeza essas manchas vermelhas me ensinaram alguma coisa...
Realmente importam os olhares daqueles olhos... olhos não se preocupam com a transmissibilidade (possível) da doença, olhares enternecedores e suavizantes... Os olhos dos olhares mais amáveis, dos olhares mais amados.

(Quando souber o que tenho estarei curado. Obterei os resultados dentro de 5, 7 dias. Até lá não haverão manchas ou dores ou coceiras... Espero.)

8 comentários:

Glauber disse...

É sarampo, catapora ou urticaria? Eu tive urticaria esses dias... A coceira é a pior parte, mas não fiquei com pintinhas róseas! Aproveite e leia o meu conto em meu blogerum, e comente, senão, [Zé do Caixão on] as pintinhas se transformarão em minhocas e outros vermes nojentos e sairão de todo o seu corpo, chamarão os insetos mais asquerosos e você se tornará um fefelechento! [Zé do Caixão off] [Lulalelé on] Companheiro, efpero que vofê fe recupere logo, como o nosso Brafil fe recuperou em meu governo [Lulalelé off] Recupere-se logo, pois é horrível estar doente!

Sinayoma disse...

Oi fezinhoooooooo!!!
Que saudade docê!

Bom, espero que melhore!

Com relação aos olhares e buscas por doenças piores, isso é normal! Porque o ser humano só consegue viver se comparar a sua situação à situação do próximo!

Eu mesma fui ao cimitério, lá em BsAs, ver o túmulo da Evita e senti um cheiro de carniça em um dos túmulos. Eu passei a respirar mais fundo cada vez em que chegava perto de um túmulo! Só percebi depois de um tempo...É horrível pensar nisso. Sôa macabro! Mas era um modo, instintivo talvez, de eu firmar a minha vida naquele lugar tão lúgubre!

beijos
Gabi

Crítico. disse...

[Gabi, você me assusta]

o.O

Sinayoma disse...

Hahahaha...calma Fê!
Eu sou só um pouquinho macabra!rs
bjos

Srta. Smilla disse...

Manchas vermelhas nunca são boas: elas coçam, irritam, encomodam e fazem todos olharem para você. MAs não se preocupe porque elas nunca passam de uma alergia boba.

Beijo

felipe disse...

vc parece tão bem??? São só uma manchinhas... acho q são as manchinhas do amor....hehehehe

Thalita disse...

Ai...amor, pareço cruel em dizer que prefiro os olhares de asco do que as piscadas sorridentes (desde que dirigidos a você, claro)?
Espero que não.

Babi disse...

E afinal, o que eram as manchas?