25 de nov de 2007

Uma criança me perguntou, dia desses...

Por que passar 10 horas do dia trabalhando, morrer aos pouquinhos dentro do próprio túmulo, se tornar estressado, pálido pela luz fluorescente? Por que ainda depois disso a gente tem que ir pra faculdade, passar mais de duas horas no transporte ruim, chegar atrasado e ainda receber olhares de repreensão, ficar lá para uma aula vazia durante duas horas e meia e levar mais uma e meia para voltar? E ainda chegar em casa, ter 5 horas para dormir e acordar na hora pra chegar na hora. Por que temos que chegar na hora? Que diferença faz? Por que eu não posso perguntar isso? E não posso falar? E não devo falar? E por que quando falo ainda falam que é demais? Eu tenho tanto, ainda aqui dentro, pra dizer...
Por que não posso parecer cansado quando estou cansado, por que tenho que sorrir quando estou triste, por que tenho que fingir que não me importo com o que me importo? Por que tenho que concordar? Por que não posso chorar? Por que as pessoas gritam? Por que me sinto diferente? Por que eu devo ser um pierrot? Para que a diversão? Padrão? Incompreensão? Por que complicar? Acusação? Repreensão? Cobrança? Por que tudo é um problema, tudo se torna um problema, é feito problema?
Que diferença fazem 10 minutos? Ou mais? Para quê tanto esforço?

É difícil acostumar a viver no vazio.

Se aconteceu algo? Não, nada de diferente. Se há algum problema? Sim, muitos. Como sempre houveram. E a gente vai matando (os problemas ou a si mesmo), diariamente, até quando der. Quando não der mais...

4 comentários:

D ... disse...

e por que as respostas mais simples de todos os "porquês" são sempre desfavoráveis a nós?
que merda! que tristeza!

Ah, Fê, pelo menos, como diria o queridinho V. M., "tristeza tem sempre uma esperança: de um dia não ser mais triste não!"

A Lulu deveria estar aqui pra falar das maravilhas da vida besta... como o nosso retorno pra casa, no Pedrão, sentado ou em pé, lá a gente é feliz.

(Nossa que merda de comentário! que horrorível essa vida!
tá bom, vou calar a boca...

Phillip disse...

Qtas perguntas... acho que já fiz elas várias vezes para eu mesmo...
Mas por quê??
Me explica!!

Anônimo disse...

Sim... por que?
Porque agente se acostuma, acomoda, porque agente segue???

Lembrei de Caio agora:

"Tenho a impressão que a vida, as coisas foram me levando. Levando em frente, levando embora, levando aos trancos, de qualquer jeito. Sem se importarem se eu não queria mais ir. Agora olho em volta e não tenho certeza se gostaria mesmo de estar aqui.”

. Caio Fernando Abreu .

bjos

Fernando Penteado disse...

Caio, é lindo.

Bjos ly