30 de jun de 2007

As três crises e a grande falência.

O Pasta me falou sobre as três crises e a grande falência. Essa noite mal pude dormir.

Tirando a sexta-feira de previsões fúnebres, a semana foi ruim (também). A coisa boa foi entender quinta-feira o que será da Licenciatura... rever J. de Almeida e L. Storto (Sra. Didier, segundo a Talita) e descobrir que terei que fazer 600 horas de estágios se quiser ser licenciado. Depois do que Pasta disse a Licenciatura é loucura, não?

Depois do que Pasta disse a Licenciatura é indispensável... E eu vou adorar as 100 horas de atividades externas. Ainda bem que guardo os bilhetes de cinema e as entradas de museu. E os relatórios do Francês vão ajudar nisso... Se bem que pra vigorar precisamos de professor, salas de aula etc. etc. etc...

Novidade: mesmo com toda a repressão dos amigos, agora sou um verde, ou melhor, estou em processo de esverdeamento.

Foi uma semana de discussões, desde domingo com fatos internos até ontem, na defesa-ataque de vermelhos. Segunda defendo contra os vermelhos, na quinta a maravilha Jorge de Almeida e Luciana Storto. Sexta, Pasta nos traz à realidade.

Ah, não posso esquecer que essa semana tive uma visão, sabe Deus se positiva ou negativa: Ví Augusto Massi, que lulou com relação às reposições de aula (como sempre fez) ...

"Mando e-mails e a gente marca reposição... em Agosto a gente conversa".

***

Alheio a isso tudo e aos outros fatores, em plenária interna foi aprovada por aclamação a proposta de não declinar de insistir na possibilidade que se me coloca (onde estão acumuladas minhas expectativas...). Quem sabe na próxima é votado voltar à realidade, ou aceitá-la como está posta, sem direito a tentativas de mudança. Se bem que, o que vale é o voto da maioria, sem ajotaérrices de tentar subverter a plenária interna. Foi consensual (e aclamado), mas pode ter sido...

...manobrado
por alguma partezinha voluntariamente
longe do tal cérebro dito civilizado
.


***

As perguntas da semana:
- O que leva alguém a fazer parte da AJR? (sim, a ânsia pela revolução)
- O que leva alguém a se tornar um negador da negação? (Ah, eles são chiques...)
- O que será de nossa licenciatura?
- O que será das três crises... e o que vem depois da falência?
- (In off: porque o Pasta tem richa com o Hansen?)

- O que fazer quando se está internado em neblina tão densa, suave , profunda... desnorteante?

5 comentários:

myriam kazue disse...

Fe,

do jeito que estou, qualquer dia trombamos na mesma densa neblina.

beijo terno

Sinayoma disse...

Eu trombarei com vc e com a Myriam nessa densa neblina. Só espero que não se encomodem se eu falar demais!

bjos desnorteantes

Babi disse...

Eu vivo me perdendo na neblina, só não sei se é a mesma de vocês.

Queria ser uma sacerdotisa de Avalon para levantar a bruma e aportar na ilha.

myriam kazue disse...

podíamos fundar uma seita da neblina, das brumas...ou coisa que o valha.

levantaríamos uma graninha em dízimos e nos mudaríamos pra europa: mestrado em paris deve ser bárbaro!

e o café de lá, dizem, não é de todo ruim.

Phillip disse...

Medo!!
Neblina + esverdeamento... rsrrsrs